Imprensa‎ > ‎

Arquivo 2007-2008

  • Candidatos ao conselho consultivo aguardam definição do Minicom Mariana Mazza e Samuel Possebon - TELA VIVA News 25.02.2008Durante o seminário Política de (Tele)comunicações, organizado esta semana pela Converge, o presidente da Anatel, embaixador Ronaldo Sardenberg ...
    Postado em 24 de jan de 2012 19:55 por Eduardo Neger ‎[NEGER® Telecom]‎
  • Paulo Pinheiro é promovido a gerente de Pesquisa da Neger Telecom Canal Executivo - 20-03-2008O executivo Paulo Pinheiro foi promovido a gerente Técnico de Pesquisa e Inovação da Neger Telecom. Este mês, ele começa a responder pela coordenação dos ...
    Postado em 24 de jan de 2012 19:55 por Eduardo Neger ‎[NEGER® Telecom]‎
  • Com recursos da Finep, Neger Telecom vai lançar produto para internet rural Por Bruno De Vizia 25 de março de 2008O crescimento da economia brasileira e da venda de computadores, impulsionada por programas de incentivo do Governo Federal, estão gerando uma ...
    Postado em 24 de jan de 2012 19:54 por Eduardo Neger ‎[NEGER® Telecom]‎
Exibindo postagens 1 - 3 de 3. Exibir mais »

Candidatos ao conselho consultivo aguardam definição do Minicom

postado em 24 de jan de 2012 16:44 por Eduardo Neger ‎[NEGER® Telecom]‎   [ 24 de jan de 2012 19:55 atualizado‎(s)‎ ]


Mariana Mazza e Samuel Possebon - TELA VIVA News 25.02.2008


Durante o seminário Política de (Tele)comunicações, organizado esta semana pela Converge, o presidente da Anatel, embaixador Ronaldo Sardenberg, expôs seu desconforto em apresentar matérias de apelo como a mudança do Plono Geral de Outorgas (etapa necessária a uma eventual fusão entre Oi e Brasil Telecom) a um conselho consultivo descaracterizado por conta da ausência de representantes diretos da sociedade. A responsabilidade recai sobre o Ministério das Comunicações, que deverá selecionar entre os candidatos os nomes que serão apresentados ao Presidente da República. E candidatos não faltam.


Lista obtida por este noticiário mostra que as entidades civis de alguma forma envolvidas com o setor de telecomunicações já apresentaram ao ministério dezenas de nomes para as duas vagas representativas das entidades e uma terceira em nome da sociedade. Ao todo, 11 entidades apresentaram listas tríplices com 31 candidatos diferentes às vagas. Os únicos dois nomes que aparecem duas vezes na lista são de Eduardo Fumes Parajo, presidente da Abranet, dos provedores de internet; e de Antonio Eduardo Ripari Neger, presidente da Abrater, que defende as telecomunicações rurais.

A diversidade de interessados em entrar no conselho consultivo mostra que a pendência é administrativa apenas: candidatos existem, falta apenas escolher os "vencedores". Quando o assunto são as vagas reservadas às associações das empresas, o cenário não é muito diferente. A falta de consenso entre as teles tem incomodado o Minicom, que ficou com a incumbência delicada de selecionar quem levará a cadeira. O nome mais cotado continua sendo do vice-presidente de regulação da Brasil Telecom, Francisco Perrone.

...

Paulo Pinheiro é promovido a gerente de Pesquisa da Neger Telecom

postado em 24 de jan de 2012 16:40 por Eduardo Neger ‎[NEGER® Telecom]‎   [ 24 de jan de 2012 19:55 atualizado‎(s)‎ ]


Canal Executivo - 20-03-2008

O executivo Paulo Pinheiro foi promovido a gerente Técnico de Pesquisa e Inovação da Neger Telecom. Este mês, ele começa a responder pela coordenação dos projetos de pesquisa da empresa.

Entre os projetos, está o Ruralmax, sistema de acesso à internet para áreas rurais, com investimentos de mais de R$ 1 milhão e apoio da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) do Ministério da Ciência e Tecnologia.

Com carreira na área técnica, ele coordenava as atividades de campo da empresa no segmento de telecomunicações rurais. Sitewww.neger.com.br

Com recursos da Finep, Neger Telecom vai lançar produto para internet rural

postado em 24 de jan de 2012 16:35 por Eduardo Neger ‎[NEGER® Telecom]‎   [ 24 de jan de 2012 19:54 atualizado‎(s)‎ ]


Por Bruno De Vizia

25 de março de 2008


O crescimento da economia brasileira e da venda de computadores, impulsionada por programas de incentivo do Governo Federal, estão gerando uma nova demanda nas áreas rurais: a necessidade de conexão. Longe dos grandes centros, a conexão para acesso à internet é rara e cara, e as grandes operadoras não têm interesse comercial em explorar estas áreas. É justamente neste nicho que atua a Neger Telecom, que obtever financiamento de R$ 1 milhão com a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) do Ministério da Ciência e Tecnologia, para desenvolver um kit de conectividade para áreas rurais, que utiliza tecnologias como WiMAX e WiFI. "Identificamos que a demanda por telefonia foi suprida, mas iniciou-se uma nova demanda por internet, principalmente para atividades empresariais do campo, como saber previsão do tempo, cotação de insumos, etc", explica Eduardo Neger, diretor de engenharia da companhia.

O financiamento, que começou a ser liberado este mês, tem prazo de 24 meses, ao fim dos quais Neger espera oferecer um produto, chamado de RuralMax, adaptado às condições rurais, para fornecer acesso à rede de forma mais barata que as alternativas atuais. "Há hoje uma lacuna nestas áreas, pois a alternativa é o satélite, que tem um custo muito caro para os padrões nacionais", detalha o executivo. A conexão por satélite, de 128 Kbps, custa em torno de R$ 500, e o objetivo da empresa é reduzir este custo "para um valor próximo ao encontrado nas ofertas dos grandes centros, algo como R$ 80 para 256 Kbps", destaca. Segundo o executivo, utilizar tecnologias sem-fio é uma das premissas que orientam o desenvolvimento do projeto, "pois as distâncias inviabilizam o uso de cabos". Lidar com matrizes energéticas diversas também é outro desafio, pois nesses locais "nem sempre a rede elétrica chega ou é estável, portanto trabalhamos com tecnologias de energia alternativa, como painéis solares e energia eólica", conta.

A empresa, que faturou R$ 3 milhões em 2007, possui cerca de dois mil clientes de telefonia rural fixa em São Paulo e mil de conexão por satélite, em parceira com a RuralWeb, e espera aumentar em 30% seu faturamento este ano. "Para um grande fornecedor multinancional esse mercado pode nem interessar, mas para a gente esse é um mercado enorme, e pouco atendido. Todo dia recebemos pelo menos dez consultas de usuários interessados no sistema, do Brasil todo", avalia Neger. Para ele é necessário especialização para atender a esse segmento, pois "a demanda é grande, mas o custo que a pessoa está disposta a pagar não é tão alto". O segredo está em oferecer uma conexão razoável por um preço acessível. "Tem que saber conciliar a estrutura de custos. Muitas vezes, só para chegar no cliente leva-se três dias", conclui.

1-3 of 3