Imprensa‎ > ‎Arquivo 2007-2008‎ > ‎

Com recursos da Finep, Neger Telecom vai lançar produto para internet rural

postado em 24 de jan de 2012 16:35 por Eduardo Neger ‎[NEGER® Telecom]‎   [ 24 de jan de 2012 19:54 atualizado‎(s)‎ ]

Por Bruno De Vizia

25 de março de 2008


O crescimento da economia brasileira e da venda de computadores, impulsionada por programas de incentivo do Governo Federal, estão gerando uma nova demanda nas áreas rurais: a necessidade de conexão. Longe dos grandes centros, a conexão para acesso à internet é rara e cara, e as grandes operadoras não têm interesse comercial em explorar estas áreas. É justamente neste nicho que atua a Neger Telecom, que obtever financiamento de R$ 1 milhão com a Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) do Ministério da Ciência e Tecnologia, para desenvolver um kit de conectividade para áreas rurais, que utiliza tecnologias como WiMAX e WiFI. "Identificamos que a demanda por telefonia foi suprida, mas iniciou-se uma nova demanda por internet, principalmente para atividades empresariais do campo, como saber previsão do tempo, cotação de insumos, etc", explica Eduardo Neger, diretor de engenharia da companhia.

O financiamento, que começou a ser liberado este mês, tem prazo de 24 meses, ao fim dos quais Neger espera oferecer um produto, chamado de RuralMax, adaptado às condições rurais, para fornecer acesso à rede de forma mais barata que as alternativas atuais. "Há hoje uma lacuna nestas áreas, pois a alternativa é o satélite, que tem um custo muito caro para os padrões nacionais", detalha o executivo. A conexão por satélite, de 128 Kbps, custa em torno de R$ 500, e o objetivo da empresa é reduzir este custo "para um valor próximo ao encontrado nas ofertas dos grandes centros, algo como R$ 80 para 256 Kbps", destaca. Segundo o executivo, utilizar tecnologias sem-fio é uma das premissas que orientam o desenvolvimento do projeto, "pois as distâncias inviabilizam o uso de cabos". Lidar com matrizes energéticas diversas também é outro desafio, pois nesses locais "nem sempre a rede elétrica chega ou é estável, portanto trabalhamos com tecnologias de energia alternativa, como painéis solares e energia eólica", conta.

A empresa, que faturou R$ 3 milhões em 2007, possui cerca de dois mil clientes de telefonia rural fixa em São Paulo e mil de conexão por satélite, em parceira com a RuralWeb, e espera aumentar em 30% seu faturamento este ano. "Para um grande fornecedor multinancional esse mercado pode nem interessar, mas para a gente esse é um mercado enorme, e pouco atendido. Todo dia recebemos pelo menos dez consultas de usuários interessados no sistema, do Brasil todo", avalia Neger. Para ele é necessário especialização para atender a esse segmento, pois "a demanda é grande, mas o custo que a pessoa está disposta a pagar não é tão alto". O segredo está em oferecer uma conexão razoável por um preço acessível. "Tem que saber conciliar a estrutura de custos. Muitas vezes, só para chegar no cliente leva-se três dias", conclui.
Comments